TAG: 10 Perguntas Literárias

Lorraina Almeida 1 Comments


Olá, pessoal!
Sexta feira, dia de TAG aqui no blog, trouxe para vocês uma que eu vi no blog A Menina da Janela, da Laura Nolasco. E achei tão fofinha que precisava trazer pra cá também!
Vamos lá.

01. Qual a capa mais bonita da sua estante?
Madame Bovary, do Gustave Flaubert, é de uma edição da Martin Claret, verde com bolinhas brancas, acolchoada, é definitivamente a coisa mais linda e fofa que eu tenho na minha estante.

02. Se pudesse trazer um personagem para a vida real, qual seria?
Percy Jackson, porque ele é exatamente o tipo de pessoa para se ter por perto, engraçado, fofo e um amigo leal. É impossível não ser cativada por ele.

03. Se pudesse entrevistar um autor, qual seria?
Essa pergunta é extremamente difícil, porque eu tenho tantos autores favoritos, mas tem um especificamente que influenciou toda a minha vida literária desde que comecei a buscar coisas diferentes além do Harry Potter, que foi o Fernando Pessoa (pode ser um autor morto?), então eu simplesmente adoraria sentar com ele com um balde de café perto do rio Tejo e poder conversar sobre todos os seus heterônimos e, claro, sobre todo o seu conhecimento sobre mapa astral.

04. Um livro que não lerás de novo? Por quê?
Eu tenho uma resposta muito pronta pra essa pergunta, mas resolvi ser diferente nessa tag, então vou dizer qualquer um do Nicholas Sparks, ao longo de toda a minha trajetória literária eu tive uma fase em que tudo o que esse cara escrevia era legal, e aí eu fui me tornando mais exigente e crítica, e acabei percebendo que ele segue um roteiro de escrita que não me agrada mais. Então, basicamente, qualquer livro dele.

05. Uma história confusa.
Investigações Holísticas Dirk Gently, o Douglas Adams tem um estilo de escrita no qual ele diz diversas coisas ao mesmo tempo e vários acontecimentos totalmente diferentes daquilo que ele está dizendo ocorrem, e num terceiro ponto você acaba percebendo que nada daquilo que está dito é de fato o que ele quer dizer, o livro te surpreende do momento em que você o abre até o momento em que o fecha, e, definitivamente, no meio quando você percebe que está lendo uma matéria escrita por um personagem sobre música e física quântica. Só por aí já dá pra perceber o quão intenso e mutável ele pode ser.

06. Um casal.
Um tanto vago, porque existem tantos casais que eu amo e tantos que eu queria que ficassem juntos de fato, mas vou falar de um especificamente que é a imagem do quão um relacionamento pode ser complicado caso não exista diálogo e a aprovação da família: Heatchcliff e Catherine, de O Morro dos Ventos Uivantes. Eles são um "casal" que é perpassado por absolutamente todos os sentimentos possíveis e existentes no mundo, e isso é exatamente a ruína deles. O apego àquilo que sempre foi externo a eles.

07. Dois vilões. (Que você gostou ou não)
Já que me deram o direito de escolha, vou citar um de cada.
Que eu gosto: Não só gosto, como amo: Voldemort. Rowling fez um trabalho incrível na construção desse personagem, eu gosto de cada um dos seus defeitos e dos seus pontos fracos, gosto da história dele, não de uma maneira em que eu ache que ele está certo, mas ele foi tão bem construído que é muito difícil não entender seus motivos. De novo, não estou dizendo que ele está certo, mas a possibilidade de poder conhecer as suas razões e sua trajetória como um personagem-vilão foi crucial.

Que eu não gosto: Sauron, de O Senhor dos Anéis, acho que o que me faz desgostar ou simplesmente não ser muito fã desse personagem é exatamente o não conhecimento de sua história. O livro começa, todo mundo sabe que Sauron é mau, mas a sua história não é contada, então eu fico com a sensação de que ele é mau por si só, sem que algo externo a ele o fizesse ser assim, e isso é um pouco chato se pensarmos que ele foi o motivo e o precursor de toda a história da trilogia.

08. Um personagem que matarias.
Basicamente, todos os personagens de Crepúsculo. Vocês já pararam pra pensar no quão rasos e chatos eles são? Graças a Deus que passei dessa fase na vida.

09. Se pudesse viver num livro, qual seria?
O Diário da Princesa. Sonho de vida uma avó aparecer e dizer que sou herdeira de um principado.

10. Qual teu maior e menor livro? (Em número de páginas)
Meu maior livro é Os Miseráveis do Victor Hugo, com 1511, e eu já estou me convencendo psicologicamente de que só terminarei de lê-lo ao completar 100 anos, e o meu menor livro é o Mestre Gil de Ham do Tolkien, com apenas 104 páginas.

Então, é isso pessoal, espero que vocês tenham gostado dessa TAG tanto quanto eu gostei de fazer. Comenta aqui embaixo o que vocês acharam e, claro, a opinião de vocês sobre as perguntas.
A gente se vê no próximo post.

Um comentário:

  1. Adorei suas respostas, se eu pudesse viver num livro, seria nárnia! http://annelims.blogspot.com/2019/01/amando-o-pinterest.html

    ResponderExcluir

Olá pessoal! Sejam bem vindos à nossa seção de comentários, a opinião de vocês é de extrema importância para nós e vamos adorar ler cada comentário, mas claro, nunca se esqueçam de que gentileza gera gentileza ♥