Nas Telonas: Bird Box

Lorraina Almeida 0 Comments


Olá, pessoal!
Hoje estou aqui para poder falar um pouquinho sobre esse filme da Netflix, que deu o que falar em todos os lugares desse planeta.
O filme alcançou 45 milhões de pessoas somente na primeira semana, e estou aqui agora para fazer uma resenha baseada na minha experiência com o livro, caso vocês queiram conferir a resenha é só clicar aqui.
Vamos ao filme!

A minha experiência com o filme foi mil vezes melhor do que com o livro, e isso é algo tão raro, mas tão raro, que eu fiquei realmente surpresa de ter gostado bastante do filme.
Eu odiei cada página do livro, foi extremamente difícil para mim a leitura, no sentido de que não consegui me envolver com os personagens. O livro é classificado como thriller psicológico, mas tudo o que eu sentia enquanto lia o livro era tédio!
Quando a Netflix anunciou o filme, eu fiquei com muita preguiça de assistir, totalmente sem expectativa, mas depois que vi o trailer resolvi dar uma chance pro longa, a Sandra Bullock com certeza ajudou nesse processo.
Assisti e não possuo muitas críticas negativas sobre ele, no geral, foi muito bem produzido. Basicamente a minha opinião negativa se concentra em furos na história, por exemplo, aquele casal saindo da casa totalmente sem sentido, o surto psicológico do personagem Gary ficou muito sem explicação também, o que deixa o espectador com perguntas sem respostas.
Acredito que o motivo pelo qual gostei mais do filme foi exatamente a parte visual mesmo, o livro é todo narrado pela Malorie, ela está vendada na maior parte do tempo, e quando não está a sua narração é sempre muito confusa e atravessada com muita subjetividade, o que deixa o livro muito cansativo.
Porém, no filme, é possível ver o cenário, a parte sonora dele também ajudou a criar o clima de suspense. Assisti ao filme sempre tensa, com a adrenalina lá em cima sempre na expectativa de "o que vai acontecer agora?", mesmo já conhecendo a história, algo que não rolou na leitura do livro.
Outro ponto em que o filme pecou, mas que não trouxe muitos efeitos negativos, foi em relação às personagens das crianças, no livro elas são muito mais espertas e muito mais habituadas às sensações auditivas, exatamente porque a Mel as cria para lidar com o mundo sem poder enxergá-lo. E no filme eles cometem erros viscerais que poderiam levá-los à morte, elas foram criadas para sobreviver no mundo sem enxergar e quase tirar a venda no filme é algo realmente inaceitável para as condições em que eles cresceram. 
Agora um ponto extremamente positivo sobre o filme, apesar de não mostrar as criaturas -ou seja lá o que estivesse causando os surtos nas pessoas-, os produtores do filme tiveram muita sensibilidade na hora de os representar, o vento com as folhas foi algo certeiro, porque não se conhece nem se sabe a aparência deles e apostar em criar algo totalmente do zero iria deixar o filme com uma essência muito trash, o que acredito que eles não estavam procurando.

Ainda tenho muitas críticas para essa história, a ideia foi muito boa, mas a execução falhou miseravelmente, o filme conseguiu ganhar bastante pontos comigo porque foi muito bem produzido, apesar de possuir os furos que já estão presentes no livro. Mas no todo, indico sim assistir ao filme e curtir um suspense num dia de domingo.
E vocês? Já assistiram? Contem pra mim aqui nos comentários, vamos conversar!
Até o próximo post!

0 comentários:

Olá pessoal! Sejam bem vindos à nossa seção de comentários, a opinião de vocês é de extrema importância para nós e vamos adorar ler cada comentário, mas claro, nunca se esqueçam de que gentileza gera gentileza ♥